top of page

Coriolano Oliveira Filho

Coriolano Oliveira Filho

Naturalidade: João Pessoa-PB

Nascimento:11/04/1968

Atividades artístico-culturais: cantor, compositor e violinista.

Área de Atuação: Estado, Região, Cidade e Bairro

Email: contato@gmail.com

Telefone: (21) 9999999

Coriolano Alberto Andrade de Oliveira Filho é um empreendedor,  pedagogo de formação e um apaixonado por Lauro de Freitas. Durante três décadas administrou a “Barraca da Gávea”. A barraca é famosa porque além da gastronomia se transformou em um “ponto de cultura” reunindo intelectuais, jornalistas, lideranças comunitárias, estudantes, pesquisadores, mestres da cultura popular, professores, empresários e políticos. A partir desta interação sugiram grandes projetos que deram destaque a barraca de praia e ao povo da cidade. Coriolano levou para o lado nobre do município as raízes populares, quebrando paradigmas e preconceitos burgueses. A Gávea foi uma espécie de “Circo Voador” do município com pautas multiculturais, shows, apresentações de grupos populares, exposições, práticas esportivas, conferências e o incremento de projetos sociais que amparou muita gente e instituições.


Coriolano era diretor de uma grande empresa de segurança instalada em Lauro de Freitas e por causa do trabalho frequentava o município. Conheceu  Vilas do Atlântico através de amigos. Em dessas visitas que viu o espaço da Gávea, seu interesse foi tanto que ele não pensou duas vezes em mudar de atividade profissional, além disso ele também estava em busca de qualidade de vida aos 45 anos. Aí decidiu  se mudar com a família definitivamente para Lauro de Freitas. 


O filho, Caio foi estudar no Colégio Apoio e a esposa Vera seguiu como Assistente Social do Hospital Menandro de Farias. Foi o segundo proprietário da Gávea, o primeiro foi o Gilbert, que ficou dois ou três anos à frente da barraca. Coriolano teve e colocou muitas ideias em prática no projeto inovador. Há trinta anos Vilas do Atlântico era carente de atrativos e a comunidade tinha que ir para Salvador a procura de diversão. Assim, ele vislumbrou um campo aberto para trabalhar com entretenimento a beira mar.    


A “Barraca da Gávea” desenvolveu três linhas de atuação: social, cultural e esportiva. No lado social a Gávea atravessou fronteiras e estreitou relações com a comunidade colaborando com a sociedade com apoio de projetos, participação em conferências e em construções de políticas públicas através da criação de conselhos de diversos segmentos, como meio ambiente, turismo, cultura, desenvolvimento social, dentre outros.


“Cori precisou passar a barraca adiante, mas continuou observando os mares para além do horizonte, potencializando ações e projetos”, comenta o jornalista Márcio Wesley.  


Fonte:

https://www.blogdomarciowesley.com.br/2021/02/coriolano-oliveira-cidade-nao-conhece.html


Sua musicalidade brasileira e suas interpretações arrojadas conquistaram, além de um público fiel, os elogios da crítica. Como intérprete, Erick trabalhou com os grupos Cesta Básica (PB), Mercedes Band (CE) e Grupo Etc e Tal (AL), já com os grupos Sine Qua Non (PB) e Zaraquê Trio (RN) gravou álbuns onde atuou também como compositor.

Galeria

Vídeos

bottom of page